Desporto

Al Ahly é contra a final da Liga em Casablanca

António Félix

Jornalista

O Al Ahly do Egipto, actual campeão africano de clubes, ignorando, completamente as possibilidades do Petro de Luanda e do ES Sétif da Argélia, expressou a sua oposição à Confederação Africana de Futebol (CAF), de Casablanca (Marrocos) ser a sede do jogo da final da Liga dos Campeões da África, prevista para 29 deste mês, onde, eventualmente, pensa estar frente ao Wydad.

02/05/2022  Última atualização 09H20
© Fotografia por: DR

O Al Ahly ainda tem dois jogos a fazer, nas meias-finais, com ES Sétif da Argélia e o Wydad de Casablanca, também duas partidas da mesma eliminatória, com o Petro, mas, já faz contas de finalista, opondo-se à escolha da CAF.

O Al Ahly, desconfiado, alega que a jogar uma final com o Wydad, em Casablanca, fá-lo-á  de forma "nervosa" já que a CAF, alegadamente, atrasou o anúncio do local da final, tendo, por isso,  enviado uma carta a solicitar que se encontre um local "neutro” para um "sonhado" confronto entre os gigantes marroquinos e egípcios.

Na base da desconfiança está, também, o escândalo que agitou um dos últimos jogos Liga dos Campeões da África deste ano, quando na sequência de um penálte, a 16 de Abril, no jogo entre o Al Ahly do Egipto e o Raja de Casablanca, provocou indignação pública, com muitos adeptos de futebol a acusarem o árbitro de protagonizar "jogo sujo".

Em Casablanca, muitos, por este facto, duvida-se que a cidade esteja preparada para receber a final, pois,  a agência local,  a Casablanca Events, enfrentou severas críticas ao que é visto como o amadorismo com que os eventos locais dizem respeito.Na altura do referido "escândalo" os torcedores de dois conjuntos rivais cruzaram para as mesmas bilheteiras, o que suscitou um movimento violento.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto