Economia

AGT vai criar cinco novos postos aduaneiros

Armando Sapalo | Dundo

Jornalista

A Administração Geral Tributária (AGT) prevê criar, este ano, cinco novos postos aduaneiros na Sétima Região Tributária, que compreende as províncias da Lunda-Norte, Lunda-Sul e Moxico, para aumentar os níveis de arrecadação de receitas fiscais.

21/06/2021  Última atualização 10H28
A instituição do Estado quer criar condições técnicas para aumentar as receitas anuais © Fotografia por: Edições Novembro
Em declarações à imprensa, no final do encontro com os contribuintes da  Lunda-Norte, o presidente do Conselho de Administração da AGT,  Cláudio dos Santos, que visitou a província da Lunda-Norte sublinhou que as províncias do Leste de Angola partilham uma extensa fronteira com a  República Democrática do Congo (RDC), com trocas comerciais intensas e dinâmicas, exigindo rigor na fiscalização.


Com a finalidade de melhorar e garantir o controlo das receitas, o PCA da AGT admitiu a implementação de um sistema de informatização dos postos de Chicolondo e Furi, na Lunda-Norte, e Luau, no Moxico, com melhorias das condições tecnológicas e de infra-estruturas. De acordo com o responsável, as receitas  anuais na Sétima  Região rondam os nove mil milhões de kwanzas.

"Estamos aqui para vermos o estado dessas obras e  decidirmos a previsão da sua inauguração , a breve trecho”, afirmou o gestor.


Cláudio dos Santos garantiu que vão ser  melhoradas as condições técnicas, tecnológicas   e de infra-estruturas nos  referidos postos .


O gestor reconheceu que os postos fronteiriços da Sétima Região Tributária, "padecem de dificuldades de energia eléctrica", dai que vão ser instalados painéis solares.


O PCA da AGT acredita que a criação de condições nos pontos existentes e o surgimento  de novos, vai  facilitar  o ambiente de negócios e me-lhorar a actividade de  importação e exportação.


O mercado  fronteiriço do Chicolondo, na Lunda-Norte, por exemplo, tem um grande volume de negócios, facto que reforça a ideia da modernização e informatização dos serviços para o maior controlo de arrecadação de  receitas. "Não se consegue ainda fazer  uma estimativa das receitas arrecadas, mas o Chicolondo tem um grande volume de negócios. Isso reforça a ideia da informatização dos serviços", aponta, depois de assegurar que a AGT está a envidar esforços,  para  remover todos os constrangimentos com os contribuintes.


No encontro com os contribuintes da Lunda-Norte, a vice-governadora para o Sector Político, Social e Económico, Deolinda Vilarinho, registou as preocupações, tendo garantido a melhoria, no sentido de se facilitar o atendimento e garantir o pagamento dos impostos.


Além da Lunda-Norte, o PCA da AGT vai ainda trabalhar  nas províncias da Lun-da-Sul e Moxico, onde deverá visitar alguns estabelecimentos comerciais.


O périplo do gestor nas circunscrição tributárias começou na Quinta Região (Huila e Namibe), passando pela Sexta (Cuando Cubango e Cunene).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia