Política

Agricultura, Educação e Turismo na cooperação com a Turquia

O Presidente da República, João Lourenço, destacou, segunda-feira ( 18), a posição estratégica que o país ocupa no continente africano, ao ser, simultaneamente, membro de três sub-regiões.

19/10/2021  Última atualização 07H58
© Fotografia por: Kindala Manuel | Edições Novembro
Quem entra em Angola chega, também, aos países afectos às sub-regiões em que se encontra inserida, disse o Chefe de Estado, em declarações à imprensa, ao lado do homólogo turco, Recep Tayyip Erdoğan, que efectua, até hoje, uma visita ao país.


João Lourenço ressaltou que Angola ocupa uma posição estratégica no continente, sendo dos poucos países africanos membro de três sub-regiões, nomeadamente a SADC(Comunidade de Desenvolvimento da África Austral), a Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos (CIRGL) e a Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC).


"Quem entra em Angola, entra, praticamente, nessas três regiões", destacou o Presidente, para quem, ao apostar no reforço dos laços de cooperação com Angola, a Turquia vai, facilmente, atingir, também, as três sub-regiões.

O Presidente destacou a realização do voo inaugural da Companhia turca ao país, três meses depois da assinatura do acordo.


Disse ser digno de destaque, se se tiver em conta que com essa ligação directa aérea os dois países ficam mais próximos, podendo os turistas, com facilidade, visitar um e outro país, "mas, sobretudo, o homem de negócio, quer os turcos que tenham investimentos a fazer em Angola, quer os angolanos que tenham investimentos a fazer na Turquia". João Lourenço salientou estar a olhar "com muito bons olhos" para esta cooperação Angola-Turquia e disse acreditar que o futuro vai confirmar, a julgar pelo interesse que empresários turcos demonstraram por Angola, "imediatamente" após a sua visita à Turquia, em finais de Julho deste ano.


O PR informou que, neste período, desembarcaram, em Luanda, mesmo antes da abertura da ligação aérea, algumas das principais empresas turcas que começaram, de imediato, a trabalhar com os ministros e diferentes sectores em que eles estão interessados em investir. "Do nosso lado, fica o compromisso de não deixarmos morrer este lã que nasceu de repente, mas que acreditamos que veio para progredir e ficar", frisou.

Antes de falarem à imprensa nacional e turca, os dois Presidentes testemunharam a assinatura de sete instrumentos jurídicos, que vão reforçar a cooperação bilateral.


Parceria estratégica

João Lourenço referiu que a presença do homólogo turco no país  confirma a ideia da importância do estabelecimento de uma parceria estratégica entre os dois países e o interesse de se prosseguir o diálogo interactivo e permanente que se vem mantendo de há uns tempos a esta parte entre os dois Governos, para que se possa caminhar para uma relação de cooperação mutuamente vantajosa, em múltiplos domínios de interesse comum.

"Como já havia referido na minha visita à Turquia, é nosso desejo aprofundar, cada vez mais, a relação bilateral com o vosso país, através do reforço dos laços de amizade e de cooperação em importantes domínios das nossas economias, com destaque para a actuação em áreas como a da energia, agricultura, construção civil, pescas, saúde, defesa e segurança, educação e outros", recordou.

Salientou que, em Ancara, se passou em revista o estado da cooperação entre os dois países, tendo ficado patente a necessidade de se multiplicar os esforços no sentido de serem criados mecanismos e incentivos que encorajem os empresários turcos e angolanos a investirem em diversos sectores da economia dos nossos respectivos países. João Lourenço destacou o facto de se estar a registar uma importante dinâmica no movimento de empresas turcas e angolanas nos dois sentidos, o que, a seu ver, augura, num futuro próximo, realizações e empreendimentos de valor significativo para as respectivas economias, pelos benefícios que daí resultarão em termos de crescimento económico e da consequente e necessária criação de empregos.

João Lourenço ressaltou, com agrado, a forte probabilidade de a linha de crédito anunciada pelo Presidente turco, em Ancara, vir a funcionar, proximamente, como um importante instrumento de apoio ao incremento do investimento turco em Angola.

"É nossa pretensão contar com o Vosso apoio, experiência e influência, sabendo-se que a Turquia é uma das mais importantes economias da região Euro-Ásia, para que Angola trilhe os caminhos do crescimento e desenvolvimento, interrompidos pela pandemia da Covid-19, que acarretou consigo danos incalculáveis em sectores que representam os motores de funcionamento e manutenção do Estado angolano", destacou.

O Chefe de Estado ressaltou que, durante a sua estadia na Turquia, foram assinados alguns instrumentos jurídicos que, juntamente com os rubricados, ontem, em Luanda, terão um peso específico "inquestionável" no conjunto das acções que vêm sendo realizadas, visando o estreitamento e intensificação das relações bilaterais. "Penso que estes acontecimentos sinalizam, com muita clareza, a vontade política de cada um dos nossos Governos em criar um ambiente de segurança e de previsibilidade para os negócios que forem sendo efectuados entre ambos os países", salientou.

Angola e Turquia, disse, são países que se conheciam pouco e, neste tempo, relativamente curto, em que passaram a lidar um com o outro, descobriram um "imenso" potencial de cooperação e de negócios em cada um dos lados, que começa, para o bem de ambos, a ser utilizado com perspectivas bastante animadoras de produzir resultados mutuamente vantajosos.

  Responsabilidades nas iniciativas que garantam a paz

Referiu,  ainda, que a Turquia e Angola têm responsabilidades inquestionáveis no que respeita à promoção de iniciativas que garantam a paz, a segurança e a estabilidade ao nível das regiões em que estão inseridos, com repercussões óbvias no plano global.
O Presidente disse estar preocupado, em face disso, com a crescente escalada de tensão que se observa em várias regiões do planeta, sobretudo os conflitos armados que se registam em África e no Médio Oriente, que requerem um esforço ingente da comunidade internacional, para que, ao abrigo das normas do Direito Internacional, das pertinentes Resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e em estrita observância do princípio do diálogo, se promovam iniciativas reais, concretas e funcionais, destinadas à sua resolução definitiva.

 Referiu que, no âmbito deste esforço colectivo, Angola tem feito a sua parte por via de iniciativas que empreende no quadro da CIRGL e da CEEAC, no sentido de contribuir para a paz e estabilidade nessas sub-regiões.

"Os nossos esforços têm sido desenvolvidos em articulação com a União Africana e as Nações Unidas, apesar da complexidade das tarefas em que estamos envolvidos, continuamos empenhados em trabalhar no sentido de sensibilizar as partes em conflito, de modo a construir-se um entendimento sólido entre todos, capaz de favorecer o restabelecimento da paz", realçou.


Investimentos vão ajudar a criar mais empregos



O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan, afirmou, ontem, em Luanda, que os empresários do seu país vão fazer muitos investimentos em Angola que vão ajudar a gerar muitos postos de trabalho para os angolanos.

Ao falar para a imprensa, no termo da celebração dos instrumentos jurídicos de cooperação, o Presidente turco, que termina a visita de três dias hoje, prometeu dar todo o apoio para a concretização deste objectivo. "Estamos abertos para fazer qualquer cooperação com Angola", garantiu.

Os dois Estados assinaram, ontem, em Luanda, mais sete instrumentos jurídicos de cooperação. Tratam-se dos acordos de assistência mútua em matéria aduaneira, agricultura e educação, além de memorandos de entendimento entre o Ministério da Indústria e Comércio com a sua congénere da Turquia e entre o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente também com a sua congénere daquele país.

No acordo sobre a educação, Erdoğan disse estar contemplado apoio para a construção de universidades no país."No sector da energia, estamos a ver que há muito potencial para cooperação", realçou.

O líder turco deu a conhecer que no ano passado fizeram exploração sísmica e perfuração profunda, que lhes permitiu achar 500 bilhões de metros cúbicos de gás natural no Mar Negro. Disse terem, na sua rede de gás, 160 mil quilómetros de linha. Sobre esta matéria, referiu que querem mostrar essas oportunidades e experiência a Angola. "Acredito, pessoalmente, que vamos fazer muito mais depois dessas visitas", destacou.

Uma das medidas avançadas, ontem, por Erdoğan, para permitir melhor fluidez desses acordos de cooperação é a facilitação de vistos.

O Presidente acredita que, por essa via, vai ser possível promover, também, o turismo entre os dois países. Disse que muitos dos investidores disponíveis em investir em Angola poderão apostar na hotelaria. "Turquia é um país de turismo. Queremos, por isso, partilhar a nossa experiência com Angola", aclarou. Sobre este particular, o Presidente acredita que a ligação aérea entre os dois países vai ajudar a fomentar este sector e outros.

O estadista turco afirmou que a presença da companhia Turkish Airlines em Angola vai enriquecer muito a cooperação entre os dois Estados, bem como gerar muita força na economia local, por via do turismo. Salientou que quando o comércio entre os países atingir a cifra de 500 milhões de dólares, conforme anunciado no primeiro encontro entre os dois Presidentes, ocorrido na Turquia, vai gerar muita riqueza para os dois lados. "Especialmente quando os investidores turcos começarem a fazer investimentos nos recursos naturais de Angola e infra-estruturas", atestou.

O Presidente turco disse antever, para essa cooperação, que se vai basear no princípio de "ganha ganha", bons indicadores para ambos os lados. Em relação à agricultura, o estadista turco disse haver muita coisa que os dois países podem fazer em conjunto. Destacou o terreno florestal nacional que, a seu ver, pode servir para plantar e receber muitos produtos.
Saudou as reformas em curso no país levadas a cabo pelo Presidente João Lourenço. Também destacou o empenho do país para garantir a paz e segurança na região.

  João Lourenço convidado  para Cimeira Turquia/África
O Presidente  turco anunciou, ontem, a realização, a 21 e 22 deste mês, em Istambul, do terceiro Fórum de Negócios e Economia Turquia/África, bem como, também, da terceira Cimeira de Parceria África/Turquia, a decorrer de 16 a 18 de Dezembro próximo. Para esta última actividade, manifestou o desejo de contar com a presença do homólogo angolano.

Comerciantes olham para o mercado turco com agrado
Os comerciantes angolanos do sector têxtil olham para o mercado turco com agrado, em função das medidas em curso e acordos assinados entre os dois Governos. Muitas mulheres angolanas já vão à Turquia em busca de negócios, principalmente roupas que têm inundado o mercado angolano.

A abertura da rota Istambul/Luanda, no dia 13, tem proporcionado muitas vantagens para as comerciantes, como contam as cidadãs Maria Helena, Beatriz Graça e Jucel-ma Manuel. Estas senhoras comercializam roupas, bijuterias e outros artigos produzidos na Turquia.

Segundo Jucelma Manuel, "é uma mais-valia a abertura desta rota. Desta forma, já podemos sair de Angola e chegarmos directamente a Turquia, sem precisarmos de fazer escala no Dubai”.

Em relação ao mercado turco, diz Jucelma Manuel, é bom, muito movimentado e com uma grande diversidade de produtos, que tem comprado para vender em Angola. "Gosto de estar lá”.

Para trás ficaram as longas horas de voos, cansativas, diz Beatriz Graça, sublinhando as vantagens da abertura da nova rota. Além de permitir a realização de uma viagem directa, com menos de 14 horas, disse, "vai evitar o cansaço mental e físico, que antes estávamos sujeitas”.

Referindo-se ao mercado turco, Maria Helena disse que o local é muito atractivo, devido à diversidade de gama de produtos expostos, "uma situação que permite satisfazer as exigências das nossas clientes em Luanda".
Consideraram que a vinda do Presidente da Turquia a Angola e os acordos assinados "vão impulsionar mais a cooperação entre os dois Estados”. "Para mim, é uma nova era nas relações”, concluiu Maria Helena.
 
17  propostas  de investimento na AIPEX
 Os investimentos turcos poderão atingir cerca de 500 milhões de dólares. Até Setembro deste ano, a Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX) recebeu 17 propostas de investimento privado de origem turca, o que possibilitará a criação de 500 postos de trabalho.

 De acordo com dados da AIPEX a que o Jornal de Angola teve, ontem, acesso, as propostas de investimento estão viradas para os sectores da Indústria (2), Comércio (8), Educação (1), Construção Civil (5) e Mineiro (1). Este último prevê absorver o maior valor de investimento, com 200 milhões de dólares. Segue-se a Indústria, com sete milhões e 784 mil dólares e Comércio (6,18 milhões).



Parlamento cria grupo de amizade Angola-Turquia

A Assembleia Nacional vai criar, no quadro das actividades previstas para esta sessão legislativa,  que teve inicio no dia 15, o grupo de amizade e solidariedade parlamentar entre Angola e a Turquia, para a troca de experiência.

O anúncio foi feito, ontem, em Luanda, pelo presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, na reunião plenária solene, em alusão à visita do Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan.

O presidente do Parlamento disse esperar que a visita seja, de facto, um novo marco para o fortalecimento das relações de amizade e solidariedade existentes entre os dois povos, em particular para os dois Parlamentos, cujos laços históricos remontam desde à Independência de Angola. "A Turquia foi um dos primeiros Estados a reconhecer a nossa Independência, por isso olhamos para ela como um parceiro estratégico", sublinhou.


Para Fernando da Piedade Dias dos Santos, a visita do Chefe de Estado turco à Casa das Leis representa um reconhecimento notável do estágio de desenvolvimento das boas relações existentes entre o Parlamento daquele país e o angolano, cuja permanente continuidade dos laços deve ser promovido por todos intervenientes.
 "A liderança da Turquia é de facto um exemplo de perseverança, que nos serve de exemplo", referiu.  


Legislação flexível

No âmbito da actividade legislativa, disse, o Parlamento angolano tem aprovado leis importantes, que se enquadram no programa do Executivo, visando a criação de condições económicas e sociais para o progresso e bem-estar dos cidadãos, entre os quais instrumentos legais mais flexíveis para assegurar a captação de investimentos. Destacou a Lei do Investimento Privado, que oferece condições favoráveis, incentivos fiscais e aduaneiros, configurando, assim, um quadro legal que propicia um ambiente de negócios e parcerias internacionais estratégicas.  



Fernando da Piedade Dias dos Santos reconheceu, igualmente, que os Parlamentos são determinantes para a promoção das relações de cooperação e de amizade entre os Estados. Por esse facto, disse, a Assembleia Nacional procura desempenhar um papel importante na diplomacia activa, apoiando o esforço do Executivo, quer a nível regional como internacional.

Cooperação parlamentar

Nesta perspectiva, o presidente da Assembleia Nacional espera que a visita do líder turco eleve a cooperação e marque o início de uma nova etapa, a um nível capaz de trazer benefícios, uma relação franca, solidária e activa entre os dois Parlamentos. "Continuamos a privilegiar a construção de uma sociedade justa e coesa, em que o bem-estar da sociedade representa uma das prioridades do Estado", garantiu.


Para o inicio desta sessão legislativa, garantiu, o Parlamento terá como a principal actividade a discussão e aprovação do Orçamento Geral do Estado (OGE) para o exercício económico de 2022, um instrumento fundamental da sua função de controlo e fiscalização do Executivo.


  Nova era das relações Angola e Turquia

O Presidente  da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, assegurou que o seu país e Angola estão numa nova era das relações bilaterais. Considerou a visita do Chefe de Estado angolano em Julho símbolo da união e a garantia do desenvolvimento da nova cooperação, abrindo oportunidades que poderão trazer vantagens mútuas.  "Estamos aqui para agradecer a todos os órgãos do Governo, Parlamento e ao povo angolano, pela recepção e hospitalidade. Faremos tudo para melhorar as nossas boas relações", sublinhou.

Recep Tayyip Erdogan referiu que, sem um Parlamento, não é possível a vida democrática de um Estado, representando este a segurança para os direitos e garantias dos cidadãos. Acrescentou que o seu país está atento às reformas em curso em Angola.


O Presidente turco garantiu, ainda, que os laços de cooperação, solidariedade e irmandade entre os dois países são duradouros, não só pelas múltiplas vantagens para as partes, mas porque há uma estratégia da Turquia em melhorar os níveis de engajamento e relações com os países africanos. 

De acordo com dados avançados por Recep Tayyip Erdogan, a Turquia possui 43 embaixadas em África e 37 representações diplomáticas e consulares estão implantadas em Ancara, o que representa, no seu entender, a importância que o continente africano tem para o país, onde Angola desempenha um papel estratégico. "Queremos uma relação de ganhos mútuos. Fazemos parte do G20. Este factor pode ser muito bem aproveitado por Angola, com quem prevemos atingir mais de 500 milhões de dólares em trocas comercias nos próximos tempos e ajudar na construção de infra-estruturas, no sector militar e noutros domínios prioritários", concluiu.


César Esteves, Victorino Joaquim e Ismael Botelho




Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política