Regiões

Agentes agrícolas formados no Bengo

Alfredo Ferreira / Caxito

Jornalista

O coordenador do Projecto de Operacionalização da Política Agrícola da SADC disse, em Caxito (província do Bengo), que o programa de formação de agentes de extensão rural visa a obtenção de dados sustentáveis e ajudar a combater as doenças que afectam as plantas e os animais.

17/10/2021  Última atualização 20H02

Silva Virgílio explicou que os 30 agentes do institutos de Desenvolvimento Agrário (IDA), de Desenvolvimento Florestal (IDF), Pescas, Gabinetes de Estudo e Planeamento de Estatística (GEPE) e do  Nacional de Estatística (INE) são provenientes das províncias do Zaire, Uíge, Cuanza Norte, Cuanza Sul, Malanje, Cabinda, Luanda e Bengo.


Contributo da agricultura


O sector agrícola em Angola contribui com cerca de 8,6 por cento no Produto Interno Bruto (PIB), informou,  há dias, em Caxito, no  Bengo, o coordenador do Projecto STOSAR, iniciativa da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).


Panzo Domingos falava no workshop sobre Colheitas e Processamento de Dados para o Sistema de Gestão da Informação Agrícola da SADC, que decorreu na última quarta-feira até sexta-feira, no auditório General Foguetão.


A actividade visou dotar os agentes de extensão rural com ferramentas para ajudar a melhorar as técnicas de recolha e gestão de dados.


Para o coordenador do Projecto STOSAR pela FAO, o país possui recursos suficientes para tornar-se num dos produtores agrícolas mais importantes de África, "pois a sua ecologia diversificada proporciona um ambiente capaz de abrigar uma ampla variedade de cultura e gado”.


Segundo o responsável, actualmente, Angola cultiva apenas cerca de 10 por cento dos milhões de hectares de terras agrícolas disponíveis, lembrando que, antes da guerra civil, o país foi grande exportador de café, sisal, cana-de-açúcar, banana e algodão.


"Angola era auto-suficiente na produção de alimentos agrícolas diversos. Estima-se que 90 por cento das prioridades agrícolas sejam de pequeno a médio porte”, disse, acrescentando que o sector desempenha forte influência na emissão de relatórios de dados, incluídos no sistema de alerta antecipado e apoiados por um outro de gestão da informação agrícola.


Avançou que a União Europeia, por meio do 11º Programa de Desenvolvimento Económico 2014/2020, alocou cerca de nove milhões de euros em acções de apoio à operacionalização da política agrícola regional da SADC, com objectivo global de melhorar a produção, a produtividade e a competitividade dos produtos agrícolas, segurança alimentar e sustentabilidade dos países da região Austral de África.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões