Economia

África subsaariana cresce 3,3 por cento

As economias da África Subsaariana deverão crescer 3,3 por cento este ano, de acordo com previsões do Banco Mundial (BM), anunciadas, ontem, no relatório “Pulsar de África”, que revela um crescimento um ponto percentual acima do previsto em Abril.

07/10/2021  Última atualização 07H00
Relatório “Pulsar África” assinala subida registada © Fotografia por: DR
"A África subsaariana deverá emergir da recessão de 2020 motivada pela Covid-19 com um crescimento de 3,3 por cento em 2021, que é um ponto percentual acima da previsão feita em Abril”, lê-se no relatório, divulgado em Washington, nas vésperas dos Encontros Anuais do BM e do Fundo Monetário Internacional (FMI).


Para os dois próximos anos, o crescimento económico na região continuará abaixo dos 4,0 por cento, o que significa que estas economias "vão continuar atrás da recuperação nas economias mais avançadas e nos mercados emergentes, reflectindo o baixo investimento na África subsaariana".


A baixa taxa de vacinação na região, à volta dos 3,0 por cento é uma das razões apontadas, disse o economista-chefe do Banco Mundial para África, citado na apresentação do documento.


"Um acesso justo e abrangente a vacinas eficazes e seguras é determinante para salvar vidas e fortalecer a recuperação económica de África. Uma mobilização mais rápida de vacinas iria acelerar o crescimento da região para 5,1 por cento em 2022 e 5,4 por cento em 2023, com o levantamento de mais medidas de confinamento, aumentando o consumo e o investimento", escreveu Albert Zeufack.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia