Mundo

África do Sul aprova venda de armas para Moçambique

O Governo sul-africano, liderado pelo Congresso Nacional Africano (ANC), aprovou a exportação de armamento e equipamento militar para o conflito armado no Norte de Moçambique, noticiou, ontem, a Lusa, citando a imprensa local.

12/12/2020  Última atualização 15H00
© Fotografia por: DR
Pelo menos cinco veículos blindados "Paramount Marauder” de 17 toneladas de fabrico sul-africano, equipados com metralhadoras, chegaram em Novembro à província de Cabo Delgado "como parte de operações terrestres”, escreve o portal Defenceweb.

Em Junho, o Comité Nacional de Controlo de Armas Convencionais (NCACC) do Governo sul-africano, que aprova o fornecimento de armas e munições e emite a respectiva autorização de exportação, divulgou no Parlamento que a África do Sul forneceu armas a Moçambique, sem precisar detalhes, adianta o portal sul-africano.

O portal sul-africano refere que um porta-voz da empresa fabricante Paramount, remeteu para "os governos envolvidos quaisquer esclarecimentos”, sublinhando que a empresa "só fornece soluções e equipamento a governos soberanos”.

Ainda ontem, a Africa Intelligence referiu que o Presidente Filipe Nyusi ordenou a contratação das empresas sul-africanas de defesa Paramount e Dyck Advisory Group para fornecer apoio militar terrestre e aéreo no combate ao terrorismo na província de Cabo Delgado, noticiou a Africa Intelligence, citada pela Lusa.

No âmbito do negócio, refere a mesma fonte, as duas empresas sul-africanas vão reforçar "substancialmente” a capacidade militar das Forças Armadas de Moçambique (FADM) e da Polícia da República de Moçambique (PRM) no âmbito de contratos negociados "pessoalmente” com o Chefe de Estado moçambicano.

Nesse sentido, a publicação adianta que a sul-africana Paramount, que segundo fontes da defesa sul-africanas entregou no passado mês de Novembro cinco veículos militares de combate às FADM, em Cabo Delgado, "está a capacitar militares moçambicanos no manuseamento dos veículos nos arredores da capital moçambicana” e a preparar a entrega a Maputo de "mais sete veículos do mesmo tipo”.

A Africa Intelligence escreve que "o acordo com a Paramount negociado pessoalmente por Nyusi e pelo seu ministro da Defesa Jaime Neto, com o director da empresa Eric Ichikowitz, o filho mais novo do fundador Ivor Ichikowitz, abrange também o fornecimento de quatro helicópteros do tipo Gazelle, actualmente a serem adaptados na África do Sul para entrega em Fevereiro do próximo ano, para dar apoio militar aéreo às Forças Armadas moçambicanas em operações de contra-insurgência no Norte do país”.

Além disso, está em curso uma acção de formação de 15 pilotos de combate moçambicanos, sob orientação de especialistas veteranos da antiga Força de Defesa Sul Africana (SADF, sigla em inglês), na Academia Técnica de Formação da Paramount sediada no aeroporto internacional de Polokwane, Nordeste da África do Sul, adianta a publicação.

Por seu lado, o ex-militar rodesiano Lionel Dyck do Dyck Advisory Group (DAG, sigla em inglês), renovou o contrato com o comandante da Polícia da República de Moçambique (PRM), Bernardino Rafael, para continuar a prestar apoio militar aéreo que tem vindo a realizar desde Abril, salienta.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo