Economia

África compensa Estados pela perda de receitas na ZCLCA

Victorino Joaquim |

Jornalista

Os Estados podem contar com um fundo de um bilião de dólares, a ser instituído para compensar a perda de receitas esperada da liberalização do mercado, depois da operacionalização da Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA).

09/10/2021  Última atualização 11H20
Kanayo Awani apresentou a Feira Comercial Intra-Africana © Fotografia por: DR
A afirmação foi proferida, em Luanda, na quinta-feira, pela directora-geral do Afreximbank para a Iniciativa do Comércio Intra-africano, Kanayo Awani, numa apresentação itinerante da Feira Comercial Intra-africana (IATF) 2021, que se realiza de 15 a 21 de Novembro, em Durban, África do Sul.

A responsável do banco continental, que falava  sobre as vantagens da integração económica e comercial dos países da África Subsaariana no quadro da ZCLCA, apontou, também, a utilização das moedas nacionais nas trocas comerciais bilaterais entre membros da comunidade.

Segundo a responsável, o comércio intra-africano vai ser viabilizado pela  implementação de um sistema de pagamento panafricano que promove a estabilização das moedas nacionais, tornando-as vitais para o comércio intra-africano, algo que, também ajuda a eliminar a informalidade comercial e a reduzir os custos com a aquisição de divisas internacionais.

Numa ZCLCA operacional, os custos com a aquisição de moeda internacional circunscrevem-se à utilização de cartas de crédito pelas empresas, sobretudo nas operações de importação de mercadorias.
Kanayo Awani  lembrou o potencial de crescimento da ZCLCA, realçando o facto de representar um mercado de 1,3 mil milhões de consumidores, com um comércio avaliado em três biliões de dólares.

Angola na IATF

A IATF é entendida pelo Afreximbank como uma plataforma da promoção de negócios entre economias africanas que, de acordo com números avançados no acto de lançamento da Feira, representam apenas 6,0 por cento do total realizado à escala global, um valor que demonstra o não aproveitamento das oportunidades na sua plenitude.

Com a participação de 55 países, incluindo Angola, representados por 1 100 expositores, prevê-se que a IATF 2021 proporcione 40 mil milhões de dólares em negociações comerciais e em investimentos.

O evento decorre sob o lema "Construindo Pontes para o ZCLCA de Sucesso” e vai  reunir actores continentais e globais para exibir produtos e serviços, bem como explorar oportunidades de negócio e investimentos no continente.
No certame, são aguardados investidores de 40 sectores que operam na agricultura e agronegócio, indústria automotiva, produção básica de metal, no ramo do vestuário e têxtil, construção, indústrias criativas, mineração, serviços financeiros, alimentos e bebidas, "startups” de jovens, petróleo e gás, bem como seguros e outros serviços do sector financeiro.

Angola, que decidiu erguer um pavilhão multissectorial no recinto da IATF 2021, no qual vai congregar representantes do sector público e privado, está em vias de apresentar, ao secretariado da ZCLCA, a oferta de desmantelamento da pauta aduaneira do país, reafirmou, durante a apresentação, o secretário de Estado para o Comércio, Amadeu Nunes.
Esta acção do Governo, indicou o secretário de Estado, deve ser encarada como parte das responsabilidades assumidas com a subscrição do tratado de adesão à ZCLCA.

*Com a Angop

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia