Política

Aeroporto internacional concluído dentro de 18 meses

Fernando Neto | Mbanza Kongo

Jornalista

As obras de construção do futuro Aeroporto Internacional de Mbanza Kongo, na província do Zaire, enquadradas no Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) 2018/2022, arrancaram, ontem, com o acto de lançamento da primeira pedra, presidido pelo ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu.

04/12/2021  Última atualização 09H15
Ministro dos Transportes lançou a primeira pedra ladeado pelo governador provincial, Pedro Makita © Fotografia por: Garcia Mayaroko| Edições Novembro |Mbanza Kongo
O ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, ladeado pelo governador provincial do Zaire, Padro Makita Júlia, referiu que, o projecto de construção do novo Aeroporto de Mbanza Kongo, visa o reforço e melhoria das infra-estruturas dos transportes.

De acordo com Ricardo de Abreu, no caso particular do município de Mbanza Kongo, o projecto vem responder também aos compromissos assumidos com a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), no âmbito da elevação da cidade como Património Mundial da Humanidade.

O acto foi antecedido por uma apresentação pública do projecto, a ser implementado na comuna do Nkiende II, a cerca de 34 quilómetros da cidade de Mbanza Kongo, no prazo de um ano e seis meses, a ser executada pela  empresa chinesa Sinohydro.

O futuro Aeroporto está orçado em mais de 89 mil milhões de kwanzas, financiado através de uma linha de crédito de Espanha. A infra-estrutura vai ter uma pista com três mil e 500 metros de comprimento, 45 outros de largura e bermas de 7,5 metros de cada lado, apropriada para receber a aeronave do tipo Boeing-777 ER.

A infra-estrutura contará,também, com um terminal de passageiros com 12.100 metros quadrados, uma torre de controlo com 35,64 metros de altura, um edifício administrativo, outro de operações de combate a incêndios, um terminal de carga e instalações auxiliares.

O novo aeroporto vai igualmente, possuir uma plataforma para estacionamento de aeronaves em hora de ponta, de uma aeronave Boeing do tipo-777 ER, duas do tipo Boeing-737 e dois helicópteros, além da aplicação de equipamentos de ajuda à navegação aérea, controlo meteorológico, equipamentos ILS e Devua, que permitem a aterragem em condições climáticas difíceis, iluminação de pista para operações diurnas e nocturnas.

Dois terminais distintos para embarque e desembarque de passageiros, um doméstico e outro internacional, com capacidade para 175 passageiros na hora de ponta cada, com a possibilidade de serem ampliados caso a procura justifique, fazem parte do projecto.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política