Economia

Administração de Viana arrecada mais de vinte milhões de kwanzas

Helma Reis

Jornalista

A administração municipal de Viana arrecadou, nos últimos dois meses, mais de 20 milhões de kwanzas, resultantes do pagamento de emolumentos para a legalização de serviços e negócios diversos, informou, ontem, o director municipal de Promoção de Desenvolvimento Económico Integrado de Viana.

21/09/2021  Última atualização 10H25
Ao edifício onde funciona a administração municipal acorrem cidadãos para emissão de licenças e outros serviços © Fotografia por: Vigas da Purificação | Edições Novembro
Dorivaldo Adão sublinhou, em declarações ao Jornal de Angola, que a arrecadação do valor ocorreu no Guiché de Atendimento Prioritário às Empresas do município de Viana (GAPEV), também denominado "Linha Verde”, e resultou do pagamento de emissão de licenças de obras, como a construção de bombas de combustíveis, de venda de lubrificantes e de títulos de direito de superfície.


O director municipal de Promoção do Desenvolvimento Económico Integrado de Viana deu ênfase ao facto de a "Linha Verde” ter sido criada com a finalidade de facilitar a vida dos empresários, através de um atendimento célere aos que têm investimentos em Viana e os que desejam investir.


Emissão de documentos


Dorivaldo Adão adiantou que, na sequência da abertura da "Linha Verde”, já há redução do tempo de emissão de documentos solicitados por investidores locais.

 "Os empresários queixavam-se de que se levava muito tempo para o atendimento às suas solicitações de foro administrativo”, acentuou Dorivaldo Adão, que disse ser já um facto "a redução do tempo de emissão de documentos”.


O responsável afirmou que a "Linha Verde” melhorou o ambiente de negócios no município de Viana e rentabilizou a acção do empresariado junto das comunidades, "maximizando os ganhos sociais a favor do município”. "As receitas arrecadadas pela Linha Verde estão a apresentar tendências crescentes”, acrescentou o director municipal de Promoção de Desenvolvimento Económico Integrado de Viana.


Dorivaldo Adão sublinhou que "muitos empresários” desconhecem a legislação em vigor no país no domínio empresarial, particularmente estrangeiros.


O Guiché de Atendimento Prioritário às Empresas do Município de Viana (GAPEV) trata, entre outros assuntos, de emissão de direitos de superfície, licença de obras, funcionamento de bombas de combustíveis, mercados e feiras, vistorias para emissão de Alvará Comercial, assim como presta orientação para a constituição de empresas e cooperativas.
 
Responsabilidade social

O director municipal de Promoção do Desenvolvimento Económico Integrado de Viana considerou "razoável” o resultado das acções de responsabilidade social, desenvolvidas por empresas em actividade no município de Viana.
Dorivaldo Adão reconheceu que as empresas só não deram um "apoio mais robusto” devido à crise económica e financeira que o país atravessa.

A Direcção Municipal de Promoção do Desenvolvimento Económico Integrado é uma estrutura da administração do município que "tudo faz para que a relação entre a Administração e o empresariado seja cada vez mais profícua”, adiantou Dorivaldo Adão.

Conforme adiantou, há sinais de que se pode esperar por melhores resultados, a título de exemplo, mencionou a disponibilidade manifestada por algumas em- presas no apoio logístico à campanha de vacinação em massa no município, de Viana, sendo um sinal positivo da relação existente.

Actualmente, o município de Viana tem cerca de cinco mil organizações empresariais, desde micro, pequenas, médias a grandes empresas. 


O município de Viana é a maior zona industrial da província de Luanda.
Nele, estão localizados dois grandes pólos industriais, designadamente a Zona Económica Especial (ZEE) Luanda-Bengo e o Pólo de Desenvolvimento Industrial de Viana (PDIV).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia