Regiões

Acusados de assalto espancados e mortos em fogueira na Catumbela

Maximiano Filipe|Benguela

Jornalista

Dois jovens, com idades compreendidas entre os 28 e 30 anos, foram barbaramente espancados e queimados até à morte, na madrugada de quarta-feira, no bairro Chimbuila Baixa, arredores do município da Catumbela, acusados de tentativa de assalto.

22/10/2021  Última atualização 10H20
© Fotografia por: DR
O facto aconteceu quando os dois tentavam assaltar, na via pública, o telefone de um cidadão. Este terá apelado por socorro, o que despertou a comunidade, que, ao apanhar os acusados, espancaram e jogaram-nos à uma fogueira feita à base de pneus.

Mário Tomás, que testemunhou o facto, revelou que este é o segundo caso de justiça por mãos próprias, protagonizada pela comunidade, em menos de três dias. O primeiro deu-se no bairro da Cabaia, município do Lobito, em que um suposto assaltante foi esquartejado até à morte.

No bairro da Cambanda, no município de Benguela, os órgãos de Justiça estão a trabalhar no processo de responsabilização criminal contra um agente da Polícia, que, na noite do dia 5 deste mês, efectuou disparo de uma pistola e atingiu um jovem.

Tomás Silva, a vítima do disparo, explicou que o facto deu-se quando esteve num local onde vendem bebidas alcoólicas, tendo, por descuido, entornado bebida do agente.

Apesar dos pedidos de desculpas pelo incidente, o agente da Polícia puxou da arma e efectuou um disparo, que acabou atingindo o braço e perfurou a cavidade bocal do jovem Tomás.

O quadro clínico de Tomás Silva inspira cuidados, segundo informações da família, obtidas junto do corpo clínico do Hospital Geral de Benguela, onde o jovem recebeu assistência médica.

Neste momento, o jovem precisa de ser submetida a uma cirurgia, para que seja retirada a bala, que ainda se encontra alojada no corpo do jovem.

A família de Tomás diz-se sem condições para assumir as despesas com a cirurgia. Por isso, apelam para a intervenção do Comando Provincial da Polícia e órgãos da Justiça, para que se dê solução ao caso.

O porta-voz do Comando Provincial da Polícia, inspector-chefe Ernesto Tchiwale, lamentou o sucedido, principalmente, por ter ocorrido numa altura em que a corporação desenvolve a "Operação 45 Graus”, que visa melhorar a situação de segurança e ordem pública.

Ernesto Tchiwale assegurou que a Polícia está a criar mecanismos para que o agente que disparou contra Tomás seja responsabilizado.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões