Economia

Acordos de financiamento previstos para Outubro

Ana Paulo

Jornalista

A Câmara de Comércio e Indústria Angola - Itália (CCIA) recebe, em Outubro, uma delegação empresarial italiana, para a assinatura de acordos de parceria financeira, informou o vice-presidente da instituição, Hélder Cardoso.

22/06/2022  Última atualização 10H14
Hélder Cardoso fala em próximas parcerias entre Angola e Itália © Fotografia por: Cedida

A missão empresarial vai reunir 10 empresas das áreas alimentar, indústria transformadora e de resíduos sólidos, agricultura, logística, infra-estruturas e fornecedores de máquinas, incluindo, um fundo de investimento.

A vinda da delegação é respaldo do Fórum empresarial Angola-Itália, decorrido em Maio, na cidade italiana de Milão, no qual participaram 70 empresas de diversos sectores, com destaque para a indústria de transformação alimentar, agricultura, banca, seguros, Oil & Gás e rochas ornamentais. Em declarações ao Jornal de Angola, Hélder Cardoso realçou que, no evento passado,  foram formuladas intenções de acordos de colaboração dos bancos de Desenvolvimento Angolano (BDA) e Millennium Atlântico e Fundo de Investimento (CFE) "Finance”, para o desenvolvimento de linhas de financiamento para a aquisição de equipamentos e know-how italiano, com a Agência Italiana de Crédito à Exportação (SACE), Export Trade Solutions, Banco BPER e Banco Valsabina (parte italiana).

Em Angola, as partes, além de traçarem acordos de parceria financeira, vão também conhecer mais projectos do sector produtivo do país, com realce para o sector Mineiro. Hélder Cardoso sublinhou que se destaca o sector Mineiro, porque no fórum passado foi o que teve maior representatividade em Milão, com um total de 15 empresas angolanas associadas, além da Associação de Comércio e Indústria do Namibe (ACIN).

As empresas angolanas, como a de rochas ornamentais, identificaram fornecedores de equipamentos, que irão permitir o processamento e transformação de mármore e granito, elemento que contribuirá para o aumento das trocas comerciais entre os dois países. "O objectivo é fazer a compra de equipamentos para a transformação, extracção, corte e polimento de rochas ornamentais”, frisou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia