Regiões

Acima de 200 alunos acampados no Bengo

Edvaldo Lemos | Caxito

Jornalista

Mais de 200 finalistas da Rede de Escolas Eiffel, localizadas nas províncias de Malanje, Cuanza-Norte, Cunene e Ben-go, participam, desde segunda-feira, na zona da Açucaeira, em Caxito, num acampamento, com o objectivo de melhorar a relação entre alunos e professores daquela instituição de ensino.

13/04/2022  Última atualização 08H30
Finalistas da Rede de Escolas Eiffel © Fotografia por: DR
Em Angola, desde 2008, as escolas Eiffel funcionam fruto de uma cooperação assinada por quatro instituições, Ministério da Educação, Missão Laica Francesa, Embaixa-da de França em Angola e a empresa petrolífera Total, e já concederam mais de 600 bolsas de estudo para o exterior do país.


"Todos os anos, enviamos bolseiros para o estrangeiro. Em 2021 foram dez e em 2022 concedemos 21 bolsas de estudo externas. Desde 2011 que a Rede Eiffel promove esse tipo de iniciativa. Até agora são cerca de 600 bolsas de estudo disponibilizadas para diversos países. Cem bolseiros tiveram como destino a França”, disse o coordenador nacional da Rede de Escolas Eiffel. 

Filipe dos Santos explicou que um dos principais objectivos do acampamento, que de princípio termina amanhã, é criar união entre alunos e o quadro docente da instituição, além de promover o espírito de irmandade a nível das escolas Eiffel.

Na abertura do acampamento, o vice-governador do Bengo para os Serviços Técnicos e Infra-Estruturas, Agostinho da Silva, disse que "os acampamentos académicos têm como foco o aumento do círculo de amizades e o fortalecimento das relações humanas". 

Juliana da Silva Melo, de 19 anos, uma das participantes que frequenta o curso de Ciências Físicas e Biológicas no Liceu Eiffel de Ndalatando, disse à nossa reportagem que partilha o quarto com uma colega proveniente de Malanje, o que lhe está a permitir perceber melhor as vantagens das trocas de experiência.  Para António Manuel, de 17 anos, finalista do curso de Ciências Físicas e Biológicas do Liceu Eiffel de Malanje, é um grande privilégio fazer parte do evento, onde, em pouco tempo de convívio, diz ter adquirido conhecimentos mais sólidos sobre a  província do Cunene. 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões