Regiões

Académico Manuel Bandeira destaca potencialidades da província de Benguela

Júlio Gaiano | Lobito

Jornalista

O professor universitário e especialista em matéria do Ambiente e Turismo Manuel Francisco Bandeira defendeu, no Lobito, província de Benguela, maior envolvimento das autoridades na exploração do Corredor do Lobito, para o desenvolvimento do Turismo na Região Centro/Sul do país.

29/09/2022  Última atualização 06H10
Especialista em matéria do Ambiente e Turismo (canto superior à direita) defende mais investimentos no sector © Fotografia por: DR

O académico, que falava em alusão ao Dia Mundial do Turismo, assinalado terça-feira, entende que a importância do Corredor do Lobito deve-se ao facto de, no âmbito da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), estar aliado à Política e Estratégia que visa o crescimento da logística e infra-estruturas, concretamente os Caminhos-de-Ferro de Benguela, Porto Comercial do Lobito, entre outras que agregam valores ao sector, em função das suas potencialidades.

Para Manuel Bandeira, pelo facto de o país, só neste ano, receber dois comboios de luxo, de operador turístico sul-africano "Rovos Rail”, vindos da Tanzânia, há a necessidade de se criar roteiros específicos e uma sub-sede da referida empresa na cidade do Lobito. Defendeu, também, a necessidade da criação de produtos específicos/atractivos, capazes de fazer com que os turistas tenham motivos para estender por mais alguns dias a sua permanência. "É nesta perspectiva que os turistas com grande poder aquisitivo vão deixar muito mais dinheiro, que pode se reflectir na melhoria da qualidade de vida da população ao longo do Corredor do Lobito".

Segundo Manuel Bandeira, a aposta no turismo fará com que se criem mais postos de trabalho, no âmbito do Programa de Desenvolvimento Local e de Combate à Fome e à Pobreza. "É preciso ter-se em conta que estamos a falar do sector mais dinâmico a nível do mundo. Só para se ter uma ideia, em cada nove empregados há um no ramo do turismo a nível da escala mundial”. O também doutorado em Ciências Económicas e Empresariais em Havana (Cuba) acrescentou que o sector do turismo é um dos mais geradores de renda a nível do mundo. 

  Empresários convidados a apostar no sector

A directora do Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos, Rosária Tchitali, manifestou o desejo de tornar o turismo eficiente, apelando o envolvimento da classe empresarial, bem como de toda a sociedade para a sua promoção e desenvolvimento na região.

"Queremos apelar a todos os promotores e agentes turísticos no sentido de promoverem a inclusão, envolvendo as comunidades locais, de forma a se alcançar uma gestão inteligente, equilibrada, capaz de consciencializar as pessoas sobre a contribuição real e potencial dessa actividade no desenvolvimento da região”, realçou.

A província de Benguela, concretamente a região Norte (Lobito, Catumbela, Bocoio e Balombo) tem ricas zonas naturais à espera de investimentos. As praias da ponta da Restinga e deltas do rio Catumbela (a Sul da Praia-Bebé), bem do Egipto Praia, as belezas naturais nas zonas do Chimbambo, Tchinendele (Lobito), Chingongo e montes de Maka Mombolo (Balombo), além do Cubal do Lumbo e Epasse (Bocoio) são referências do potencial turístico da região. 

 

Breve historial

Reza a história que o Dia Mundial do Turismo foi celebrado, pela primeira vez, no dia 27 de Setembro de 1980. A data foi estabelecida pela Organização Mundial do Turismo (OMT), uma agência especializada das Nações Unidas.

A data visa ressaltar a importância social, cultural e económica do turismo, um sector importante para a conservação de espaços e monumentos históricos e para a ampliação dos horizontes culturais da humanidade.

A decisão foi tomada no âmbito da terceira reunião da Assembleia Geral da OMT, que aconteceu, em 1979, na cidade de Torremolinos, na Espanha.   

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões