Opinião

A reabilitação de estradas e a economia

Sabe-se que um dos grandes problemas que faz com que muitas actividades produtivas não avancem ou fiquem paralisadas é a inexistência de estradas em condições de poderem garantir a mobilidade de pessoas e bens.

22/06/2021  Última atualização 05H55
Muitos empresários e potenciais empresários querem investir em muitas partes do território nacional, mas o estado das estradas inibe-os de aplicar os seus capitais em áreas que podem não lhes proporcionar resultados em termos de lucros. Os empresários, já o dissemos várias vezes, prosseguem a maximização do lucro e não investem os seus capitais sem garantias que o seu investimento terá retorno. 

O crescimento económico resulta em grande medida da construção e reabilitação de estradas e o Executivo percebeu isso, estando em curso um amplo programa de abertura de vias rodoviárias que vão ligar diversos pontos do nosso vasto território.  Acredita-se que daqui a algum tempo a mobilidade de pessoas e bens far-se-á com maior rapidez, e haverá naturalmente um aumento do volume de negócios em várias partes de Angola. 

 A diversificação da economia passa pela construção e reabilitação de estradas e pontes. Havendo estradas e pontes transitáveis e seguras, havemos de assistir a um incremento da actividade produtiva, com ganhos para as populações e para os empresários que, naturalmente, querem ganhar muito dinheiro.

O que se espera é que as centenas de quilómetros de estradas que estão a ser reabilitadas pelo Executivo venham a durar por muito tempo e que desapareçam definitivamente as vias descartáveis, que se construíram com enormes prejuízos para o Estado.

Acredita-se que se está a corrigir o que se fez mal no passado e que não se quer mais repetir erros que lesaram o Estado em biliões de kwanzas. É hora de partirmos para a construção de um país que seja de facto promotor do crescimento económico e do desenvolvimento. Que se aposte agora no crescimento económico para se avançar para o desenvolvimento, que vai assegurar a qualidade de vida para todos. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião