Opinião

A Polícia e a segurança pública

A segurança pública é uma das principais funções do Estado. Os cidadãos desejam que o Estado garanta as condições para que possam viver num clima de paz social. Uma das grandes preocupações do Estado angolano é criar os mecanismos suficientes e eficazes para que todos os cidadãos possam sentir-se seguros nos lugares em que vivem.

26/07/2019  Última atualização 07H14

A nossa Constituição dispõe sobre a garantia da ordem (artigo 209º da Lei Fundamental), estabelecendo que esta "tem por objectivo a defesa da segurança e tranquilidade públicas, o asseguramento e a protecção das instituições, dos cidadãos e respectivos bens e dos seus direitos e liberdades fundamentais, contra a criminalidade violenta ou organizada e outro tipo de ameaças e riscos (...)."
O artigo 209º da Constituição é uma norma que deve ser concretizada por via da adopção de medidas que visem um combate cerrado à criminalidade em qualquer ponto do território nacional, de modo a que os cidadãos possam realizar as suas actividades diárias de diversa natureza com normalidade.
O Estado, sendo pessoa de bem, tem o dever de assegurar que os cidadãos não sejam permanentemente molestados por meliantes ou organizações que estão à margem da lei. A Polícia Nacional é chamada em situações de elevado índice de criminalidade a agir com maior eficiência, para a neutralização de bandidos, mas sempre no estrito respeito pela Constituição, pelas leis e pelas convenções internacionais de que Angola seja parte.
O comandante -geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, deu uma boa notícia aos cidadãos, segundo a qual o país passará a ter um novo modelo de esquadra e policiamento, a começar por Luanda, a cidade mais populosa de Angola.
Espera-se que as esquadras sejam mais eficientes em termos operacionais e tenham mais efectivos, com vista a se garantir uma segurança pública que proteja ao máximo pessoas e bens. Há ainda por parte do Comando-Geral da Polícia Nacional a preocupação de se formarem os efectivos para que o trabalho destes venha a produzir os resultados desejados. É acertada a decisão de se formar os efectivos da Polícia Nacional a vários níveis e em diferentes especialidades.
É sempre importante investir em recursos humanos. Um investimento em capital humano resulta em bom trabalho, e, no caso da Polícia, em melhor protecção dos cidadãos de acções criminosas.
O Comando-Geral da Polícia Nacional já identificou os grandes problemas da corporação, e acredita-se que as terapias a aplicar serão aquelas que hão-de ajudar a melhorar substancialmente a actividade de uma instituição de suma importância para a vida do país.
A formação dos efectivos , combinada com a atribuição de meios materiais à Polícia Nacional , deixa antever um período de maior segurança e tranquilidade públicas no país, em particular em Luanda, onde um dos assuntos permanentemente debatidos é a criminalidade nos seus diferentes bairros.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião