Reportagem

A inovação pelas novas tecnologias

Alinhado com o tema da Expo “Conectando Mentes e Criando o Futuro”, muitos países investiram nos pavilhões, a maioria dividida em três pilares: sustentabilidade, mobilidade e oportunidade.

10/10/2021  Última atualização 10H40
Expo Dubai © Fotografia por: DR
Não foi em vão que o pavilhão do Paquistão bateu o recorde de visitantes. Um total de 8.000 pessoas passaram por aquele espaço no primeiro dia da Expo, no dia 1 de Outubro.

Repleto de história e cultura, o pavilhão do Paquistão é dividido em oito espaços principais onde os visitantes podem experimentar os tesouros mais bem guardados do país, que vão desde o artesanato até a topografia deslumbrante, assim como a comida deliciosa.
Alguns dos visitantes de destaque no pavilhão incluíam Abdul Razak Dawood, conselheiro do Primeiro-Ministro do Paquistão para o Comércio e o Investimento.

O líder de programação e marketing do Pavilhão do Paquistão, Afroz Abro, disse ao Khaleej Times que "o dia de inauguração foi muito mais agitado do que esperávamos”. "Enquanto durante o dia registamos um bom atendimento de 5.000 pessoas, à noite a multidão havia aumentado e recebemos a visita de 8.000 pessoas vindas de todo o mundo.”

À semelhança das outras exposições mundiais, a Expo Dubai une as pessoas e dá as boas-vindas a uma colecção de talentos incríveis, combinando o passado, presente e o futuro. Durante 181 dias a exposição mundial irá fornecer uma inspiração para todos e criar memórias únicas para milhões de visitantes.

Assente no pilar Oportunidade entre os pavilhões da Rússia e do Peru, o espaço angolano na Exposição Internacional do Dubai ocupa uma área de 2.300 metros quadrados e tem o formato de Sona (desenhos de área), típicos do povo Lunda Cokwe.

A cerimónia de abertura, presidida pela comissária de Angola na Expo, Albina Assis, contou com a presença do ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, e do embaixador de Angola nos Emirados Árabes Unidos, Albino Malungo.

Apesar da cerimónia oficial acontecer no período da tarde, as portas do pavilhão de Angola abriram no período da manhã.
Ansiosos em conhecer o que o país levou para mostrar ao mundo, o casal Gabriel e Jurelma, de férias nos Emirados Árabes Unidos, acorreu muito cedo ao recinto e foi das primeiras pessoas a ter contacto com o acervo angolano na Expo Dubai.
No dia da abertura passaram pelo pavilhão nacional 1.800 pessoas, com destaque para uma delegação do Botswana chefiada pelo ministro do Comércio e do Investimento, Mmusi Kgafela.

Além do espaço expositivo, o pavilhão de Angola na Expo dispõe de gabinetes administrativos, uma área para espectáculos, restaurante, loja de venda de bens culturais nacionais e galeria, na qual está patente, durante um mês, a exposição "Ancestralidade e tecnologia – Trono Quântico”, da artista plástica Daniela Ribeiro.

"A Expo Dubai 2020 tem como objectivo lançar pontes para um diálogo entre nações, ciente de que, num mundo fortemente interligado, é na colaboração entre os povos que residem as soluções para a preservação do planeta e do futuro da Humanidade”, escreveu o Presidente da República, João Lourenço, no Livro Oficial do Pavilhão de Angola.

Lusona "Toje”, o desenho representativo da Neotis Caffa, uma ave pernalta, é o logotipo do pavilhão de Angola. O logotipo é formado por 18 pontos que representam a cultura (inovação e tradição) das 18 províncias do país. Angola vai comemorar o dia nacional na Expo Dubai a 4 de Fevereiro de 2022.


Portas abertas ao mundo
Estrelas mundiais da música ajudaram a dar as boas-vindas ao mundo à Expo Dubai, no dia 30 de Setembro, na cerimónia oficial de abertura da exposição internacional, no Al Wasl Plaza, onde além dos três mil espectadores, milhões em todo o planeta assistiram ao evento que será lembrado para sempre.

"A Expo Dubai fornecerá uma plataforma significativa para que todas as pessoas se conectem, discutam e trabalhem juntas. Juntos, transmitiremos, dos Emirados Árabes Unidos para o mundo, no nosso 50º aniversário, uma mensagem de tolerância, convivência e paz; uma mensagem de progresso, prosperidade e crescimento; uma mensagem de fraternidade, felicidade e uma vontade inabalável de criar um futuro melhor para todos” disse o Sheikh Nahayan Mabarak Al Nahayan, ministro da Tolerância e Coexistência dos Emirados Árabes Unidos e Comissário Geral da Expo 2020 Dubai, ao dar as boas-vindas ao mundo à Expo 2020 Dubai - e aos Emirados Árabes Unidos.

O tenor Andrea Bocelli derrubou a casa ao encerrar os procedimentos electrizantes da noite com um dos seus clássicos de todos os tempos, "A Oração”.


Arranha-céus construídos no deserto

Emirado mais populoso entre os sete emirados, com 2.262.000 habitantes, Dubai é uma cidade conhecida pelos vários shoppings de luxo, pela arquitectura ultramoderna e pela animada vida noturna.

Uma cidade erguida no deserto, com vários arranha-céus de luxo, Dubai regista altas temperaturas. O sistema de transporte, quer autocarros e táxis, quer metro, é funcional. Nesta altura da Expo, a solução de muitos dos visitantes tem sido o metro de superfície. Quem apanha o metro na estação Sobha Realy tem rigorosos vintes minutos para chegar até a Expo, na entrada da Dubai Exhibition Centre.

Para a viagem de ida o passageiro tem de desembolsar 8,5 dirhams (3,6 dirhams equivalem a 1 dólar). Mas o passageiro o pode fazer por um bilhete diário, desembolsando 20 dirhams.

Já se a pessoa preferir deslocar-se ao sentido oposto a partir da estação Soba Real para a área comercial da Deira levará, sensivelmente, 40 minutos até a estação da Union para depois trocar da linha vermelha para a linha verde, no sentido Creek e descer na estação seguinte, na Baniyas Square e dai seguir o seu roteiro comercial.

Numa das nossas passagens por Deira fomos a uma loja de um cidadão de origem indiana, conhecedor de calões e dos troques da banda, apesar de nunca ter vindo a Angola, apenas pela convivência com muitos angolanos, até porque nessa ocasião encontramos na loja vários concidadãos, incluindo o músico Naice Zulu.

Logo à entrada da loja chamou-nos a atenção um dizer: "Esta é a loja do Bebucho Que Cuia”. O nome nos é familiar mas o rosto não. "Então cambas, vão comprar perfumes?”, perguntou-nos. Sentimos como se estivéssemos em casa, pois poderíamos nos comunicar na língua de Camões. "Quanto custa esse perfume?”, perguntamos. "Camba, é barato e ainda vou vos fazer um desconto”, respondeu.
O assunto dos perfumes ficou arrumado. "Cambas, não vão querer mais nada?”, questionou, para de seguida rematar: "Os meus produtos são originais e de qualidade”.

Conversa vem, conversa vai e o tempo foi passando. "Camba, vamos voltar em outra ocasião, já conhecemos o sítio”. Bebucho Que Cuia acompanhou-nos até a porta. "Voltem sempre, cambas”, despediu-se.

No regresso, no início da noite, uma torre domina a linha do horizonte repleta de arranha-céus, observados a partir do metro. É a famosa Burj Khalifa, uma torre de 830 metros de altura, a mais alta do mundo.
O tempo é cada vez mais escasso e não há tempo para visitar a Burj Khalifa. Ficou como tarefa para uma próxima visita ao Dubai...

António Bequengue | Dubai

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Reportagem