Opinião

A estatística, os governantes e a tomada de decisões

Quem governa precisa de ter dados estatísticos para poder tomar decisões correctas, a fim destas poderem realmente produzir resultados que satisfaçam os interesses dos cidadãos.

17/08/2020  Última atualização 00:00

Um governante deve preocupar-se em dispor de informações estatísticas que lhe permitam fazer as opções que possam resultar em crescimento e desenvolvimento económico e social efectivos.
O serviço de estatística do nosso país deve ser um dos mais fortes elos do processo de tomada de decisões, para ajudar os governantes a levar a cabo as suas acções com base em informações credíveis, no interesse de todos os angolanos.
Só se tomam boas decisões, ao nível da governação, se se conhecer bem o país, e ao longo de muitos anos fizeram-se coisas sem um conhecimento profundo sobre a nossa realidade, tendo-se cometido muitos erros, muitos deles com consequências graves para a vida de milhões de angolanos.
Que se comece finalmente a dar a importância que os serviços de estatística merecem, para que tenhamos cada vez mais servidores públicos a desempenharem bem o seu papel.
Vai iniciar-se o Recenseamento Agro-Pecuário e Pescas, que vai permitir conhecer a quantidade das estruturas dos sectores de uma área de muita importância para o desenvolvimento da agricultura e a sua distribuição geográfica, e saber do uso e aproveitamento da terra.
Espera-se que depois deste recenseamento, os governantes venham a ter informações fiáveis sobre o que realmente ocorre nas zonas rurais, para que se possam implementar, se for caso disso, projectos destinados a alavancar a economia agrária e pesqueira.
Ao que tudo indica, os governantes não querem mais tomar decisões sem antes conhecerem o país que temos, e prevê-se que passe a haver no futuro um maior protagonismo do serviço de estatística do país.
O país quer enveredar pelo desenvolvimento sustentável, e não pode avançar para a concretização de projectos produtivos sem estatísticas organizadas, que sejam um verdadeiro suporte da governação, em termos de informações.
É tempo de se valorizarem os serviços de estatística, para que tenhamos um país com rumo, porque a construção do desenvolvimento não se compadece com uma governação à vista.
Os governantes devem habituar-se a fazer recurso a informações estatísticas para executarem melhor as políticas públicas e gastarem bem os recursos financeiros que têm de alocar à satisfação das necessidades colectivas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião