Cultura

“A Caixa Preta de Óscar Ribas” na Casa-Museu

Mário Cohen

Jornalista

A secretária de Estado da Cultura, Maria Piedade de Jesus, afirmou, terça-feira, em Lu-anda, que o escritor e etnógrafo Óscar Ribas foi um grande promotor da identidade cultural de Angola.

19/08/2021  Última atualização 07H20
Secretária de Estado da Cultura enalteceu feitos do escritor na inauguração da mostra fotográfica © Fotografia por: Paulo Mulaza | Edições Novembro
Discursando na inauguração da exposição fotográfica, documental e audiovisual inédita denominada "A Caixa Preta de Óscar Ribas”, patente desde terça-feira até 17 de Novembro, na Casa Museu Óscar Ribas, Maria de Piedade de Jesus garantiu que o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente apoia e ajuda a incentiva da instituição museológica no trabalho de promoção, que enaltece a figura do seu patrono.
Essas iniciativas, disse, não devem apenas realizar-se no dia e mês de aniversário de Óscar Ribas, pois ajudam a levar às escolas actividades sobre a vida e obras deste escritor angolana, por formas a dar a conhecer às novas ge-rações o legado deste grande homem de cultura. 

A Secretária de Estado garantiu ser é importante reconhecer os forças da família do escritor, assim como dos amigos conviveram  directamente com a grande figura da cultura nacional, porque sem elas a sociedade não conheceria o grande acervo cultural que Casa Museu Óscar Ribas dispõe para o bem da cultura de Angola. 

Na exposição,  alusiva aos 112 anos do autor de "Izomba - Associativismo e recreio”, comemorados na terça-feira, estão patentes várias fotos inéditas de Óscar de Ribas e mais de duas mil correspondências arquivadas no acervo da Casa Museu, dirigidas a vários escritores e jornais na altura. 

Outros objectos que chamaram a atenção da Secretário de Estado da Cultura são o Rádio Cassete, que ainda funciona em plenas condições, as cassetes áudio, nas quais estão gravados diversos depoimento de Óscar Ribas, e um recorte de jornal, que espelha o seu 89º aniversário, comemorado em 1998, em Portugal, em companhia de Luís Kandjimdo, Rosa de Almeida, representante da Organização da Mulher Angolana em Portugal (na altura) e do músico Tonito Fortunato. 

Segundo o Casa Museu Óscar Museu Ribas, Sidónio Domingos, para os festejos do 112 anos do patrono da instituição estão programadas uma série de actividades culturais. Para hoje, às10h00, está prevista a abertura da "Feira do Livro, Arte  e Performance Especial”, da Biblioteca ao Ar Livre e a venda e sessão de autografo do livro "Gentílico de Angola”, da autoria do professor António Januário. 

Para o dia 27, está agenda a realização de um evento denominado "Especial Biblioteca ao Ar Livre (Ler Óscar Ribas)”, uma promoção conjunta entre a Biblioteca Nacional de Angola e a Mediateca de Luanda, e o lançamento e venda do livro "Dezamores de Luanda, do professor Hélde Caculo. O programa encerra, no dia 28, às 9h00, com a realização de um programa de debates radiofónica sobre vida e obra denominado "Menha Ndungo”, uma iniciativa da Casa Museu Óscar Ribas, em parceria com a Rádio Mais. 

Sidónio Domingos  revelou que a exposição "A Caixa Preta” traz a público uma série de informações confidenciais e sistema parcialmente conhecidos da vivência de Óscar Ribas, que se mantiveram longe da contemplação da crítica e dos estudos que petrificaram , até hoje, os alicerces do mosaico cultural de Angola.

‘"A Caixa Preta’ ilustra momentos vividos fora e dentro do país, representando a cultura dos povos, mormente ao grupo sociocultural ambundu (falante da língua kimbundu), que valorizou  e preservou os aspectos endógenos, bem como a idiossincrasia do povo, face às dinâmicas da globalização”.

Escritor e etnólogo angolano, Óscar Bento Ribas nasceu a 17 de Agosto de 1909 em Luanda e morreu a 19 de Junho de 2004,  em Portugal.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura