Regiões

800 crianças deixam de estudar debaixo de árvores

Estanislau Costa | Lubango

Jornalista

Mais de 800 crianças do I ciclo do ensino primário da comuna da Quilemba, a 30 quilómetros da cidade do Lubango, que estudavam debaixo de árvores num matagal, passaram a frequentar aulas em condições adequadas, com a entrega, ontem, de uma escola de 12 salas.

03/06/2021  Última atualização 08H27
Comuna de Quilemba tem uma escola construída de raiz e completamente equipada © Fotografia por: Estanislau Costa | Edições Novembro
A nova infra- estrutura de aula, entregue pelo governador provincial da Huíla, Nuno Mahapi Dala, foi erguido de raiz, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), com um valor estimado em 291 milhões e 454 mil kwanzas.
 A escola, construída, num período de seis meses por uma construtora local, possui, além das doze salas apetrechadas com mobiliário adequado para se desenvolver o processo de ensino e aprendizagem, área administrativa, sala dos professores, cantina, quadra desportiva, espaços de lazer e recreação, seis balneários, entre outros compartimentos.


O governador provincial  exortou aos professores, encarregados de educação, autoridades tradicionais e alunos a cuidarem do novo património. Nuno Mhapi Dala disse que o Plano Integrado de Intervenção nos Municípios está a dar lugar a instalação de infra-estruturas   básicas em povoações, comunas dos municípios da província, com realce para os sectores da Educação, Saúde e Energia e Águas.


 O soba da comuna da Quilemba, Fernando Matonkela, enalteceu a iniciativa do Executivo ,pois os empreendimentos vão contribuir para a qualidade de vida da população . "Os nossos filhos deixaram de caminhar longas distâncias para frequentar aulas nos centros urbanos”, ressaltou.
 "A instalação de um sistema de captação e distribuição de água potável, próximo ao recinto escolar, afigura-se como uma mais-valia para a os habitantes locais, pelo que exorto às autoridades a prosseguirem com a materialização de projectos nos arredores  da localidade”, acrescentou a autoridade tradicional.


Segundo o soba, a seca que afectou a circunscrição na época agrícola transacta,  "obrigou os habitantes locais a acarretarem água para o consumo em locais impróprios e distantes, facto que continua a provocar muitas doenças no seio da população” da comuna da Quilemba”.
 Para  Fernando Mantokela , é urgente  a construção de mais furos para a captação e distribuição de água, "para se evitar que as famílias continuem a percorrer longas distâncias em busca de água. Por outro lado, acrescentou, a abertura de mais furos de água, vai proporcionar me-lhores condições aos camponeses para a produção de diversos produtos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões