Economia

7% do negócio de diamante vem da produção angolana

Pedro Peterson

Jornalista

Os indicadores foram apresentados numa videoconferência sobre os diamantes promovido pela Câmara de Comércio e Indústria de Angola e a Dubai Multi Commodities Centre

24/11/2020  Última atualização 11H05
O sector começa a dar sinais de recuperação depois de um período de baixa produtividade © Fotografia por: Edições Novembro
Angola contribuiu em 2019 para o mercado Mundial com 7 por cento em quilates de diamantes e 9 em valores o que posicionou o país na classificação Mundial nas primeiras 5 nações relacionadas na produção e 4 em valores.
Os dados foram apresentados num webinar sobre os diamantes realizado no último fim de semana, promovido pela Câmara de Comércio e Indústria de Angola e Dubai Multi Commodities Centre (DMCC).

Mankenda Ambroise, que representava no evento, o Ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, congratula-se com iniciativa da câmara em promover o tema, alegando que este é o momento certo para os empresários interessados virem investir na indústria diamantífera angolana.

O conselheiro do ministro, convidou as empresas dos Emirados Árabes Unidos (EAU) para juntarem-se a iniciativa e serem membros de acordo com os requisitos estabelecidos.
 "O sector oferece oportunidades de negócios, pois existe uma grande variedade de oportunidades para fazerem negócios na indústria dos diamantes em bruto e Angola irá assegurar o apoio ao seu investimento” garantiu o governante.

Na ocasião o presidente do Conselho de Adminis-tração da Endiama, Ganga Júnior, disse que o país está com uma produção media anual de 9 milhões de quilates até 2019. "A nossa pretensão seria em 2020 passar para os 10 milhões de quilates e em 2021 contávamos com cerca de 11 milhões, perspectivando 2022 situarmo-nos próximo dos 14 milhões”, disse.

Segundo Ganga Júnior, o país teve que ajustar o  seu programa de produção em 20 por cento, daí adoptar a estratégia que permitisse que a empresa continuasse a trabalhar sem vender tanto, por isso, estamos a notar uma certa mudança no mercado e hoje já começamos gradualmente a vender e estamos convencidos de que a situação tende para melhor”. Frisou o gestor.

Foram oradores do Seminário virtual, o conselheiro especial do ministro de Recursos Minerais, Petróleo e Gás de Angola, Mankenda Am-broise, o PCA da Endiama, Ganga Júnior, o presidente do Conselho da Administração da Sodiam, Eugénio Pereira Bravo da Rosa, presidente da Câmara de Comércio e Indústria de Angola-UAE, Bráulio Mohammed Martins, Representante regional para o médio oriente e África, Mohammed Al Falasi e o conselheiro especial de pedras preciosas da DMCC Martin Leake.

"O novo centro Global para os Diamantes de Angola destinados a ligar os negócios de Angola com oportunidades de comércio internacional de Diamantes através do Dubai durante tempos desafiantes pelo Covid-19”, foi o tema do evento.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia