Sociedade

600 crianças são tratadas no exterior com o apoio da Kimbo Liombembwa

Adolfo Mundombe/Huambo

Jornalista

No total, 600 crianças foram submetidas ao tratamento de especialidades nas áreas de Ortopedia, Urologia, Traumatologia, Estomatologia e queimaduras graves, no exterior do país, desde a implementação dos projectos da organização Kimbo Liombembwa, no Huambo, informou, este domingo, o responsável da instituição.

19/09/2022  Última atualização 07H00
Organização trabalha com menores enfermos desde 1990 e conta com o apoio do Instituto Nacional da Criança © Fotografia por: DR

Gabriel Quintas adiantou ainda que a organização tem procurado ajudar crianças que padecem de doenças complicadas, cujos pais não têm condições financeiras.

A organização, disse, já trabalha com esta camada social desde 1990. Nesta altura, conta, começaram a levar as crianças para o tratamento no exterior e têm obtido sucesso com a iniciativa.

Na primeira quinzena do próximo mês de Outubro, anunciou, chegam ao país 14 crianças que estão em tratamento na Alemanha há mais de seis meses. "Dependentemente da doença, todas foram tratadas e agora voltam às suas famílias”.

No momento, destacou, têm outras 14 crianças inscritas no projecto, das 27 previstas. O processo de selecção, disse, é feito a partir do Hospital Central do Huambo.

"As inscrições continuam abertas e está a ser feita com o apoio de alguns parceiros, como o Instituto Nacional da Criança (INAC) e a Direcção Provincial da Saúde, que, ao detectar casos graves de saúde em alguns menores, os encaminham à organização para os levar em tratamento na Alemanha”, disse.

 "A triagem médica das crianças é feita em Luanda, por ser mais célere depois a obtenção do passaporte da criança. Estes menores seleccionados agora vão passar por este processo a partir do dia 26 deste mês”, adiantou, Gabriel Quintas.

Um dos principais entraves na efetivação do projecto tem sido, lamentou, a falta de documentação de algumas crianças. O INAC, confirmou, tem ajudado neste sentido.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade