Economia

600 camponeses produzem algodão para Textang II

Um total de 600 pequenos produtores de algodão na província de Malanje foi seleccionado para começar, a partir de Janeiro do próximo ano, fornecer algodão à unidade industrial da Textang II, localizada no município do Cazenga, em Luanda.

01/12/2021  Última atualização 14H14
© Fotografia por: VIGAS DA PURIFICAÇÃO | EDIÇÕES NOVEMBRO

Segundo o presidente do Conselho de Administração do grupo empresarial Investimentos e Participações (IEP), Jorge do Amaral, os camponeses começam a produzir a principal matéria-prima, numa área de 10 mil hectares, e fornecer à Textang II, para que num período de três anos, 100 por cento do algodão utilizado na unidade fabril seja de produção nacional. 

"Por questões climatéricas, em Angola, o algodão começa a ser produzido a partir do mês de Janeiro, dai termos já seleccionado 600 famílias camponesas que cada uma terá dois hectares para a produção de algodão, com acessória técnica e gestão da IEP, para que a produção seja um sucesso e tenha rentabilidade para fornecer a principal matéria-prima à unidade industrial da Textang II”, explicou, terça-feira, à margem da 36ª edição da Feira Internacional de Luanda (FILDA).

Para Jorge do Amaral, principal gestor da companhia que detém a Textang II, a FILDA representa a maior montra de exposição das empresas, onde o sector têxtil angolano está a aproveitar a oportunidade para mostrar as potencialidades da produção nacional.

"É a primeira participação da Textang II na FILDA e estamos entusiasmados para que a nossa empresa seja o motor da reactivação da indústria têxtil nacional”, referiu, acrescentado que a fábrica conta com uma produção de mais de 200 mil metros de tecido por mês e uma mão-de-obra de 250 trabalhadores.

 

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia