Economia

38,1 por cento das empresas recuperam em 12 meses

Relativamente à recuperação do negócio, mais de 160 (38,1 por cento) das empresas participantes ao inquérito prevêem ser necessário um período relativamente curto (até um ano) para que as actividades voltem a ser como antes da Covid-19. Já as outras 98 empresas (22,5 por cento) indicaram ser necessário um período superior a um ano.

30/12/2020  Última atualização 11H01
Banco Nacional de Angola inquiriu empresas nacionais © Fotografia por: Edições Novembro
Face às incertezas ao ambiente económico, no mês de Outubro, de acordo com o BNA, assistiu-se a um aumento do número de empresas que consideraram a possibilidade de fechar o negócio, tendo-se situado em 10,1 por cento. Nos meses anteriores de Setembro e Agosto, esta cifra situou-se nos 5,4 e 6,0 por cento.

Sobre as contas a receber dos clientes, em Outubro, não se verificou grandes alterações, visto que a maior parte das empresas (26,8 por cento) consideraram que as dívidas a receber dos clientes mantiveram-se face ao mês anterior.

No entanto, 143 empresas (33 por cento) declararam que as dívidas dos clientes aumentaram, destacando-se as do sector das actividades de informação e de comunicação (61,5 por cento), captação, tratamento e distribuição de água, saneamento, higiene pública e actividades similares (60), indústrias transformadoras (42), electricidade e água e educação (ambas com 40).

Quanto às dívidas a pagar, 160 (36,7 por cento) das empresas declararam um aumento, com realce para os sectores da captação, tratamento e distribuição de água, saneamento, higiene pública e actividades similares (80 por cento), educação (60 por cento) e actividades de informação e de comunicação (53,8 por cento).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia