Desporto

1º de Agosto ambiciona chegar ao segundo lugar

Após a perda do título do Girabola 2021/2022 para o arqui-rival Petro de Luanda, o 1º de Agosto vira as atenções para o segundo lugar, com o intuito de competir na próxima edição da Liga dos Clubes Campeões Africanos de futebol, afastada a hipótese de participar na Taça da Confederação, já que ocupa o terceiro lugar, com 55 pontos.

22/05/2022  Última atualização 13H45
© Fotografia por: DR

O 1º de Agosto está a quatro pontos do Sagrada Esperança, sendo que a última jornada do campeonato será determinante para ambas as equipas. Os lundas visitam os rubros e negros.

Das equipas grandes e candidatas assumidas à conquista do título do escalão maior do futebol nacional, a formação militar foi a que mais dificuldades financeiras enfrentou durante a competição, por força do corte que o Ministério das Finanças (MINFIN) efectuou no orçamento do clube do Rio Seco, de 800 para 200 milhões de Kwanzas por mês, retirando-lhe  a possibilidade de discutir em pé de igualdade o caneco com o Petro e Sagrada.

Com o montante disponibilizado pelo MINFIN, o 1º de Agosto viu-se a braços para gerir sem sobressaltos a colectividade, atendendo ao número de funcionários e atletas de 14 modalidades, designadamente futebol, basquetebol, andebol, hóquei em patins, natação, atletismo, xadrez, judo, karaté-dó, tiro aos pratos, canoagem, pesca, vela e ténis de mesa.

Na segunda volta do Girabola, o 1º de Agosto experimentou sérias dificuldades para reforçar o plantel, sendo a única contratação a do avançado Jiresse, ex-Recreativo do Libolo. 

 

Investimento colossal

Já o Petro de Luanda teve razões de sobra para esfregar as mãos de contente, já que beneficiou de um excelente encaixe financeiro de dez mil milhões, 922 milhões, 381 mil e 916 Kwanzas. Além deste valor, o futebol sénior petrolífero usufruiu, igualmente, de dezanove milhões 450 mil e 391 dólares.

A gozar de saúde financeira, o Petro de Luanda tinha a obrigação de vencer o Girabola, bem como competir ao melhor nível na Liga dos Clubes Campeões. Nas Afrotaças, o conjunto do Catetão esteve a um passo de atingir a final, depois do afastamento nas meias-finais diante do colosso Wydad de Casablanca de Marrocos.

Por sua vez, o Sagrada Esperança, campeão nacional destronado, recebeu do patrocinador oficial a Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama), o montante de três milhões de dólares. O elenco liderado por Muacabalo Tomás teve de fazer "engenharias” para levar o barco a bom porto. 

Mas, acabou por naufragar, com a perda do título do Girabola, sem esquecer a paralisação dos trabalhos por parte dos jogadores, em consequência de alguns pendentes: contratos, salários e prémios de jogos em atraso.


Alexandre Manuel

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto